Logo USP

facebook

english

español

30 anos do mais importante centro de estudos em aves silvestres e exóticas do Brasil, agora em novas instalações

 principalambulat

Instalado em novo prédio, desde final de novembro, o Ambulatório de Aves agora está conectado ao Laboratório de Ornitopatologia. O novo local tem 80 metros quadrados e vai possibilitar que o atendimento de pacientes e proprietários seja realizado com maior conforto e qualidade.

Criado em 1986, pelo Professor José Américo Bottino, da disciplina de Ornitopatologia do Departamento de Patologia, o Ambulatório de Aves da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP foi precursor desse tipo de atendimento no Brasil e na América Latina.  Ao longo dos seus 30 anos, tornou-se um expoente na formação de acadêmicos e profissionais médicos veterinários, especializados no atendimento clínico, terapêutico e patológico de aves silvestres, exóticas e domésticas. Serviço vinculado ao Hospital Veterinário (Hovet) realiza, em média, 130 diferentes casos por mês entre o atendimento clínico e o diagnóstico laboratorial das diferentes enfermidades que acometem as aves.

O tratamento de ornitopatologias foi evoluindo através da prática. Segundo o o professor Antonio José Piantino, atual coordenador administrativo do Ambulatório, “no início, a posologia de analgésicos era uma prática baseada na experiência empírica, podendo causar depressão cardíaca e óbito nas aves em casos de aplicação excessiva. Com o crescimento do projeto, o aumento de aves como animal doméstico e o surgimento de mais medicamentos específicos para esses animais, a posologia desenvolveu-se por meio da prática cientificamente organizada pelos professores, resultando na abordagem ideal”, explicou.

Piantino avalia que “o Ambulatório foi determinante para tornar o estudo de aves relevante na Medicina Veterinária e Zootecnia, por ter dado o suporte necessário para a comunidade civil portadora de aves domésticas e dos próprios médicos veterinários que se interessavam por avicultura, mas não tinham como se especializar no assunto”.


Os avanços

Incialmente, o Ambulatório funcionava apenas com veterinários colaboradores, que também eram residentes interessados na ornitologia. A primeira médica veterinária contratada para atuar no Ambulatório foi Stella Maris Benez, ex-aluna da FMVZ. Marta Brito Guimarães, é a médica veterinária, também formada pela FMVZ, que desde 1994 está à frente do atendimento clínico. Segundo ela, “no início, não tinha os serviços que dispomos hoje, como radiologia, tomografia, cirurgia, anestesia, odontologia, citologia, oftalmologia, necropsia, entre outros.  Tenho muito orgulho de fazer parte de um trabalho que nos permite interagir com inúmeros profissionais do Hovet, que começou devagar e atingiu a complexidade de hoje”, avalia.

A médica veterinária Marta Guimarães Brito, responsável clínica pelo Ambulatório de Aves da FMVZ-USP, desde 1994, relembra algumas das curiosidades que testemunhou. "É o caso do urubu de estimação, Maria Preta, com fratura em uma das patas, que chegou sobre o braço do seu proprietário. Ou o caso do avestruz gigante com luxação em uma das articulações da pata e que precisou ser atendido sobre um caminhão. E ainda o pardal que viveu por 10 anos como pet, após ser adotado por uma amorosa senhora", enumerou. "O amor pelos animais fica evidente na frequência com que, mesmo pombos, aves consideradas perigosas por serem vetores de doenças, eram trazidas  para tratamento no Ambulatório", conclui.      BOX 1 URUBU MARIA PRETA FOTO MARTA GUIMARÃESPNGMaria Preta
    

 

BOX 2

Lívia da Silva, na nova recepção do Ambulário. 10 anos na função


Ambulatório de Aves do Hovet da FMVZ-USP

Atenção para o novo telefone: 11 26486209

Agendamento de atendimento: de segunda a sexta, das 8 às 17 horas

As consultas e exames são oferecidos a preços reduzidos.

Endereço: Av. Professor Dr. Orlando Marques de Paiva, 87, Butantã, São Paulo/SP, Cidade Universitária (próximo ao portão 3).